Vídeos: a bola da vez

Eles chegaram de mansinho e, de repente, se tornaram um dos mais atrativos formatos de conteúdo online. Atualmente, os vídeos para internet estão acirrando a disputa entre as principais mídias sociais. E o Facebook está apostando muitas fichas para tirar o protagonismo do YouTube, que reinava praticamente absoluto, mesmo com a presença de outros players como o Vimeo.

Quem ganha com isso? Além do usuário, o produtor de conteúdo, que pode ser você, um empreendedor, uma pequena ou grande empresa, e tem mais canais para disponibilizar seus criativos e envolventes vídeos.

Mas, voltando à “briga” entre as redes sociais, o Facebook tem se destacado nos últimos meses, ao mexer nas configurações de publicações e incluir o autoplay (reprodução automática) nos vídeos espalhados pelos feeds de notícias. Logo em seguida, começaram também a aparecer vídeos de anúncios em autoplay. Estas duas medidas mostram a importância que os vídeos passaram a ter nos lucros trimestrais do Facebook e chama a atenção de investidores. E, além disso, é declaradamente uma tentativa da empresa de tentar roubar as estrelas do YouTube para criar conteúdos feitos especificamente para o Facebook.

Os resultados da estratégia de reprodução de vídeos do Facebook são visíveis. Métricas-chave do Facebook quando se trata de vídeos estão em alta, enquanto no YouTube, estão em declínio. Durante a última década, o YouTube teve um monopólio virtual sobre visualizações de vídeos online. O “YouTube” é quase um verbo para vídeo, assim como o “Google” é para pesquisa. Mas com as últimas investidas do Facebook, o YouTube poderá estar no meio de uma crise existencial, pois o primeiro não é apenas uma plataforma de vídeo, onde estão especialistas neste nicho, este é o Facebook, que já tem 1,35 bilhão de usuários mensais ativos à sua disposição.

Dados fornecidos ao Business Insider, de pesquisadores da comScore, mostram como Facebook está passando o Google (leia-se: o YouTube) na quota de mercado, no que diz respeito a visualizações de vídeos nos últimos meses.

Fonte: comScore

Fonte: comScore

As visualizações de vídeos em desktop no Facebook cresceram 38,5%, atingindo 491 milhões (dados de setembro de 2014). Já as visualizações em sites do Google subiram 4,8%, passando para 831 milhões. O YouTube ainda domina o mercado, mas o Facebook vem beliscando seus calcanhares.

É importante, no entanto, considerar que apenas o autoplay não pode ser considerado parâmetro para dizer que a ameaça já está confirmada, uma vez que o fato de o vídeo ter sido reproduzido, não significa que o usuário o tenha sido assistido.

Apesar disso, o Facebook tem se mostrado um desafio não apenas para o YouTube, mas para outros sites de vídeo como AOL, Yahoo, Vidible.tv e Vevo, entre outros. Veja como era o mercado de vídeos em setembro de 2013:

Fonte: comScore

Fonte: comScore

Já o gráfico abaixo, mostra como o mercado estava dividido em setembro de 2014 e aponta o crescimento do Facebook, tirando um pequeno espaço da audiência do YouTube e um espaço ainda maior dos outros sites de vídeo.

Fonte: comScore

Fonte: comScore

Os números mostram que o mercado de vídeos online deve ficar cada vez mais dividido. Vamos acompanhar os próximos passos e te manter informado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s